A minha fé é a minha fé?
Com ela atropelo mitos.
Minto em nome de um deus promíscuo.
Minto em meu nome porque só eu me sinto.[1]

Daí, não importa mais o ser humano.
Sou homem de fé e já me basta a bata,
a baba da fala, a rede de intrigas e de relações.

Há tempos a morte de Um não é tragédia.
A morte de Um é apenas a morte de mais Um.
«Se eu morrer, amanhã faz dois dias».

Minha mente é escrava do que escrevo na intimidade.
A revolução não será televisionada.
A revolução não será mais armada.
A revolução requer uma mente escrava.

Falta-nos seguir o caminho
que traça a traça no Livro Sagrado.
E aos religiosos, ditadores e políticos dar um basta.

Quando a morte de Um, realmente,
voltar a me comover, mando rezar uma missa.
A minha fé é a minha fé ainda que triste e submissa.


  1. Arde Chile: protestas en el país más estable de Latinoamérica. Todo empezó con las protestas por el alza del billete del metro. Ahora, en muchas ciudades de Chile rige el toque de queda. Cientos de miles de chilenos siguen saliendo a las calles a protestar por la desigualdad social. Fonte: dw.com ↩︎