Abril 10, 2019

CARTAS PARA HELENA

CARTA NÚMERO UM

CARTAS PARA HELENA
Belo Horizonte, 12 de fevereiro de 2019.

Filha,

Diante da indefinição do sexo, por certo tempo, seu nome foi Aquaman. Sua vida submarina coincidiu com a estreia do filme do super herói de minha infância. Invejei essa paz de rio, Helena. Alimento e calor numa barriga-hotel cinco estrelas. Não assisti ao filme. Falei rio, pensei mar. Minha menina de águas serenas, desse lugar, talvez, não terá lembranças.

Tudo certo com seus exames. ̷A̷u̷s̷ ̷e̷ã̷m̷ ̷u̷o̷d̷i̷e̷p̷ ̷e̷j̷o̷h̷ A clínica tem uma escada que me mata. Meu medo fez eu ler coisas, hoje, sobre síndrome de down. O Atlético Mineiro quase foi desclassificado ontem. Por breve segundos desejei mal a alguém. Colega de trabalho foi dispensada e saiu daqui aos prantos. Há muita dor por aqui e para onde eu olhe. Há um combinado em casa de não falarmos palavrões. Não tema mija, mas viver é f*! Ouvi barulho estranho hoje. Acho que era alguém quebrando uma promessa.

As avós andam endoidecidas: uma quer escolher sua data de nascimento, a outra quer se auto homenagear lhe batizando Eloiza. Precisamente: Eloiza Helena. Resolvemos fazer uma edição. Não sabemos se será cesária ou normal. A data de nascimento segue incerta como a beleza de um poema que alguém começou a escrever. Oxalá nenhum homem toque o calendário.

Sua vida vai ser f*!

A nossa também.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-Sem Derivações 4.0 Internacional.