queria escrever poema que fosse o próprio silêncio.[1]
poema que ocupasse a alvorada e durasse um minuto.
& nesse interstício pudesse curar o mal com cores.
nem complexo nem ingênuo, um poema apenas,
pedra semipreciosa, a dizer que pessoas (todas as
pessoas) são valiosas.

& que devemos respeitar, simplesmente,
seu caminho à casa.

um poema ametista, amazonita, turmalina negra.
um poema pedra que o bandeirante não ousara tocar.
um poema, por fim, escudo para a criança.
um poema de brincar.

Videopoema


  1. O Blog existe para que eu me proponha um desafio semanal de criação poética. A notícia, trágica, da semana me fez querer não escrever sobre. Assim, veio a ideia do minuto de silêncio. Tentei ao máximo ser sincero e encontrar o equilíbrio entre sentimento + pensamento + palavras. Esse é um poema-notícia que não gostaria de ter escrito. Meus sentimentos a todxs. ↩︎